in

Pílula anticoncepcional: quando ela é um risco para a nossa saúde?

Pílula anticoncepcional: quando ela é um risco para a nossa saúde?
Pílula anticoncepcional: quando ela é um risco para a nossa saúde?
Pílula anticoncepcional: quando ela é um risco para a nossa saúde?

A pílula anticoncepcional é um medicamento usado por milhões de mulheres que previne a gravidez e garante um ciclo menstrual regular. A evolução do seu método atingiu o ponto mais alto da cominação de dois hormônios, o progestágeno e o estrógeno, onde as mulheres sofrem efeitos colaterais. Por isso, condições de saúde, hábito de vida e alguns históricos familiares são bastante determinantes na adoção ou não de tomar a pílula. Confira a seguir, quando a pílula combinada é um fato contraindicado:

Tabagismo

Mulheres acima de 35 anos que associam a pílula com o cigarro podem ter sérios problemas de doenças cardiovasculares. Muitos estudos apontaram que as substâncias do cigarro afeta de forma positiva as funções do sistema vascular arterial, mesmo quando a fumaça do cigarro já não está mais no ar. Essas substâncias continuam circulando no corpo, acumulando placas de gordura e colesterol nas artérias. O fato de fumar e tomar pílula anticoncepcional favorece a coagulação do sangue e leva a um AVC.

Hipertensão

A hipertensão apresenta sintomas em estágio muito avançado e, por isso, é importante medir a pressão arterial antes de adotar o uso de uma pílula anticoncepcional. Isso se dá ao fato das mulheres ficarem com o coração hipertrofiado devido ao grande esforço para bombear o sangue até nas artérias e, com o tempo, elas perdem a elasticidade, entope e rompe as artérias. Junto com a pílula, a porcentagem de sofrer um AVC é quase de 90%.

Trombose

Você sabia que a trombose ocorre por conta de três fatores? São elas:  propensão de formar coágulos, lesões nos vasos sanguíneos e diminuição da velocidade da circulação. Juntando a pílula favorece ainda mais a formação de coágulos e, por isso, seu uso é totalmente proibido para as mulheres que já sofreram com esse problema ou apresentaram histórico de trombose na família.

Lúpus

O lúpus é uma doença autoimune e muito complexa que afeta os vasos sanguíneos. A doença pode estar relacionada também a anticorpos que afetam a coagulação sanguínea e, forma os trombos. Adotando a pílula combina eleva ainda mais o risco de uma trombose, AVC e infarto, sendo assim, totalmente contraindicada para os pacientes que possuem o lúpus.

Obesidade

Pessoas que possuem obesidade, principalmente as mulheres, tem um risco maior de sofrer eventos cardíacos, e ainda pode ser vítima de problemas com colesterol e hipertensão. Segundo alguns especialistas, o tecido adiposo produzido em excesso traz mais de 15 substancias que interferem no funcionamento do organismo, inclusive nos níveis hormonais.

Doenças hepáticas

As pessoas que apresentam lesões hepáticas, como cirrose e hepatite, ao tomar a pílula sobrecarrega o órgão. Além disso, mesmo com o uso do anticoncepcional pode acontecer algumas irregularidades nos ciclos menstruais. Isso se dá ao fato do hormônio não metabolizado não inibir a produção de hormônios suficientes no ovário, o que pode desregular os níveis hormonais do corpo com a efetividade do medicamento.

Por isso, antes de tomar qualquer pílula anticoncepcional procure seu médico ginecologista. Ele irá te avaliar e receitar qual o medicamento mais adequado para você.

Escrito por Roseane Gouvea

Saiba quais são os mitos e as verdades sobre a Depilação Intima

Saiba quais são os mitos e as verdades sobre a Depilação Intima

Alimentação superpremium: saiba tudo sobre