in

O que está por trás da Automutilação?

O que está por trás da Automutilação?

Para muitas pessoas, a automutilação é uma válvula de escape para dores emocionais. Ouvimos constantemente na rua ou através de familiares, amigos, etc., que o gesto de traçar uma linha horizontal nas pernas, braços, abdômen ajudam aliviar a angustia que sofrem. É como se a dor física fosse capaz de fazer ir embora a dor na alma.

Atualmente, é cada vez mais comum adultos, mas também adolescentes, com quadros de automutilação. E essa “válvula” não ocorre apenas com atos de se cortar, bater em si mesmo ou se queimar. Algumas pessoas arrancam o seu cabelo e comem a unha até desmaiar de dor, e isso também podem ser consideradas automutilação. Muitas vezes não são consideradas, pois estão ligadas ao estado de ansiedade ou inquietação.

Mas o que é mesmo a automutilação? Pois bem, é quando uma pessoa intencionalmente, agride o seu próprio corpo sem a intenção de cometer o suicídio. Entretanto, embora naquele momento não tenha tido a característica do suicídio, a automutilação é a coragem que faltava para cometer tal ato. Mais de 60% das pessoas que fazem isso tentaram suicídio em alguma passagem da sua vida.

Entre outros motivos que mais escutamos, estão as brigas com familiares, brigas com namorado ou marido, problemas nas relações interpessoais, problemas escolares. Entre as principais finalidades com que os indivíduos fazem isso, geralmente são a necessidade de aliviar o estado do sentimento negativo, depressivo, sentimento de angustia, desespero, raiva, autocritica, frustação, ódio e tensão. Eles o fazem na tentativa de induzir um sentimento positivo ou até mesmo de lidar com as relações interpessoais.

O indivíduo normalmente tem esses atos de forma repetitiva onde pensa em várias vezes ao longo do dia sem realizar o ato. Há aquelas que não conseguem outra forma de lidar com todos os sentimentos negativas que não seja a automutilação. Muitas vezes, o ato da mutilação é impulsivo e ocorre para o alivio rápido da situação que está causando dor. A pessoa faz esse ato sem pensar no que está fazendo com seu corpo e com a sua cabeça.

Quais são as pessoas que mais têm esse tipo de conduta?

Muitos dizem que são pessoas que estão iniciando a fase da adolescência, mas não. Embora isso seja crescente na população, a automutilação é muito comum nos adultos. Mas ainda é mais frequente na adolescência. A exposição nas redes sociais contribui negativamente para a expansão desse ato.

Alguns quadros, estão bastante associados à depressão, transtorno alimentares, transtorno de personalidade histriônica, transtorno de borderline e transtorno de ansiedade. É importante lembrar que a automutilação já é enquadrado em casos de psiquiátricos.

Em muitas pesquisas, médicos relatam que essa conduta é uma forma de alivia o estresse e outros sentimentos perturbadores. São jovens que modulam mal a forma como lidam com o seu sofrimento. E o mais difícil é que muitos professores, pais e outras pessoas não percebem quando isso acontece. Vários pais, ao invés de ajudar o seu filho, criticam a sua atitude e relatam como frescura. Por isso, não adianta apenas criticarmos essa conduta sem dar suporte, amor e afeto para o que acontece.

Escrito por Roseane Gouvea

Mindfullness: Aprenda a praticar para melhorar com êxito o seu dia a dia

Mindfullness: Aprenda a praticar para melhorar com êxito o seu dia a dia

Parto normal é mais seguro para os bebês prematuros e o bem-estar das mamães

Parto normal é mais seguro para os bebês prematuros e o bem-estar das mamães