in

Saiba as razões que fazem com que 2019 seja um ano chave para o Facebook

Saiba as razões que fazem com que 2019 seja um ano chave para o Facebook
Saiba as razões que fazem com que 2019 seja um ano chave para o Facebook

Nesse ano novo, os pedidos do Facebook darão espaço a sua responsabilização, e muitas outras medicas regulatórias talvez serão colocadas em prática. O que isso significa? Que tipo de punições as redes sociais podem tomar? Acompanha esse artigo que iremos traçar um panorama do que pode acontecer com o Facebook em 2019.

Em dezembro, a Comissão de Proteção de Dados na Irlanda anunciou que, diversas notificações no Facebook serão investigadas. As implicações disso são enormes – uma vez que se trata do principal órgão reguladora desse setor na União Europeia. O avanço regulatório se sustenta na intenção de punir rigorosamente as empresas que não protegem os dados pessoais dos seus usuários.

Kate líder da IAPP (Organização Internacional de Proteção de Dados Privados) avalia que o foco principal será nas medidas de segurança e procedimento que o Facebook tinham em vigor, e que se estes tiverem sido eficientes, é possível que haja uma descoberta administrativa com clareza.

A descoberta administrativa, em outras palavras, é nada mais que uma eventual decisão da Comissão com multas estrondosas. Segundo uma regulação em vigor, uma empresa pode ser atuada em sua receita global com uma multa de 4% em cima – no caso a rede social Facebook pagaria mais de U$ 1,5 bilhão. 

Pode ser que essa decisão não pare por ai. Enquanto as investigações estão em avanço, a Comissão Federal de Comércio nos Estados Unidos também examina a conduta do Facebook por conta de um acordo que foi assinado pela empresa em 2011. Para explicar melhor, o acordo fez com que o Facebook prometesse que obteria consentimento devido e explicito em casos de coleta de dados. A empresa já reafirmou, que não descumpriu com o acordo.

Se for identificada qualquer tipo de violação do “decreto de consentimentos”, a punição são, em teoria, uma multa de U$ 40 mil por dia. E se uma eventual violação abarcar todos os 80 milhões de usuários do Facebook nos Estados Unidos, a cifra chega até U$ 3 trilhões. É bom Mark andar na linha, né?

Portanto, é improvável que chegue a esse valor. O objetivo principal da comissão não é quebrar empresa americanas, mas sim desencorajar comportamentos inadequados.

Uma opinião que parece ter apoio em diferentes países ao redor do mundo é a que o Facebook se tornou uma empresa muito grande e muito poderosa. Em uma aparição ao Senado Americano em 2018, Mark Zuckeberg disse que tem muitas concorrentes. Porém, em momento nenhum ele menciona nenhuma dessas concorrentes.

O Freedom from Facebook, grupo ativista, pede que a empresa seja dividida em 4 (quatro): o Whatssap, o Facebook Messenger, a rede principal de Facebook e Instagram. O grupo também pede que seja mais fácil para os usuários migrar os seus dados pessoais em uma rede a outra, caso queira se desconectar um dia de alguma delas.

Segundo a renomada revista New Stateman, o Facebook está contratando especialistas em leis concorrenciais para que seu negócio seja desmembrado em peças menores. A empresa também contratou um político britânico como Chefe de Comunicações.

Escrito por Cafedatarde

Relatos sobrenaturais que fizeram uma cidade brasileira construir discoportos

Saiba como funcionam os microchips implantados sob a pele que permitem que os indivíduos paguem sem precisar de dinheiro ou cartão.