in

Saiba o que está por trás da mente de um psicopata

Saiba o que está por trás da mente de um psicopata

A palavra “psicopata” teria aparecido na década de 40 do século XIX e teria sido usado pela primeira vez pelo filósofo e médico Ernst Von. Von utilizou o termo como sinônimo da doença psíquica. Foi por isso que o termo aparece no Decreto da Legislação Brasileiro, que “dispõe sobre a profilaxia mental, a fiscalização dos serviços psiquiátricos e outras providencias.”

Portanto, pode-se dizer que o conceito é um dos menos definidos, em toda a psiquiatria e, além disso, ainda haverá necessidade de muitos anos de pesquisas para que o conhecimento se torne mais profundo e preciso para quem possui esse tipo de transtorno.

Kurt Schneider foi um autor importantíssimo na história de psicopatia, ele considerou que as personalidades psicopáticas são formas acentuadas das personalidades anormais. Considerava que personalidades anormais eram muito semelhantes as encontradas na população em geral, porém os seus traços eram quantitativamente diferentes. Na tipologia, ele definiu as seguintes personalidades:

· Depressivas: Opostamente aos hipertímicos, que são pessoas que passam a maior parte do seu tempo com sintomas de tristeza, angustia e baixa energia, porém não chegam a apresentar um transtorno depressivo.

· Hipertímicas: As pessoas estão a maior parte do tempo “correndo rápido”, mais motivados e mais ativos do que muitas outras pessoas.

· Inseguras: Autoestima muito baixa e insegurança para a tomada de decisões em quanto âmbito da sua vida.

· Anancásticas: Pessoas extremamente exigentes consigo e com os outros ao redor, rígidas em seus hábitos e pensamentos também. São minuciosas.

· Fanáticas: São pessoas que se apegam em ideologias e ideias que mantêm contra evidencias contrárias.

· Necessitadas de validação: Sentem-se inseguras ou com pouco valor se não houver validação externa dos seus comportamentos, necessitam estar sem por cima e sempre elogiadas.

· Humor Lábil: Pessoas assim possuem seu humor onde varia em função dos estímulos externos, mesmo que estes sejam totalmente insuficientes para mudar o humor.

· Explosivas: Pessoas explosivas possuem pequenos estímulos negativos ou de contrariedade que levam as enormes explosões emocionais. Em muitos casos, podendo até envolver a agressão física.

· Hipotímicos: Pessoas que não tem capacidade de enfatizar com os outros e possuem acesso aos afetos.

· Débeis de vontade: Pessoas com esse transtorno são extremamente sensíveis que tendem diretamente ir ao fracasso.

Contudo, qualquer pessoa normal pode sim ter alguma característica que foi citada acima e isto não a torna uma psicopata. O psicopata, é uma pessoa que tem características de personalidade que lhe trazem dor ou sofrimento, ao longo da sua vivencia.

Como conseguir ajudar um psicopata?

Como em todos os casos de transtornos psiquiátricos, o ideal é que a família, amigos ou pessoas mais próximas consulte um especialista. Se for impossível levar para a avaliação a pessoa com suspeita de psicopatia, a pessoa mais próxima pode levar ao diagnostico ou, pelo menos, possibilitar que a suspeita seja melhor fundamentada.

Uma das características mais importantes das psicopatias é que elas se tornam mais evidentes no começo da idade adulta, quando toda a personalidade já se formou. As psicopatias envolvem comportamentos que vão sendo recorrentes ao longo do tempo.

Escrito por Fabricio Pontes

Saiba as frases que você deve tirar do seu dia a dia e substituí-las

Saiba as frases que você deve tirar do seu dia a dia e substituí-las

Saiba os 7 motivos para incluir a masturbação na sua vida

Saiba os 7 motivos para incluir a masturbação na sua vida