in

O homem que “assassinou” Plutão diz que pode haver um planeta escondido e 5 vezes maior do que a Terra

Phattie seria o novo e nono planeta

Em 21 de outubro de 2003, o astrônomo Mike Brown descobriu Eris, um novo planeta anão, o segundo maior do sistema solar. A novidades foi que o novo “anão” era 27% maior que Plutão e, portanto, acabou levando este último a perder o status de planeta.

Após sua descoberta, Eris foi batizado como o décimo planeta do Sistema Solar pela NASA. Mas os astrônomos gradualmente perceberam que muitos outros corpos como Eris poderiam estar escondidos nos recessos escuros do nosso Sistema Solar, motivando a União Astronômica Internacional (IAU) a definir com precisão o que constitui um planeta.

Uma lista de critérios foi adotada em 2006 e Plutão e Eris foram destronados e se juntando ao círculo de corpos menores chamados planetas anões.

A partir daquela data Mike Brown passou a ficar conhecido em todo o mundo como o “homem que matou Plutão”. Todavia, ele agora poderá colocar em breve um novo corpo cósmico para substituir o antigo nono planeta.

Alguém poderia culpar Mike Brown por “assassinar Plutão”, como alguns fizeram, mas o trabalho de um pesquisador não é dar uma opinião subjetiva, mas expor os fatos concretos. Além disso, parece que trabalhos mais recentes realizados pelo astrônomo podem fornecer um substituto para a posição agora vaga do nono planeta.

Mike Brown aposta na existência de um nono planeta no Sistema Solar

O novo planeta pode estar escondido

O “Planeta Nove”, ou “Phattie”, é um planeta hipotético cuja existência foi indiretamente sugerida por perturbações na órbita de vários objetos transnetunianos (além do planeta Netuno). Graças a um novo método, capaz de medir os distúrbios do cinturão de Kuiper com mais precisão, Mike Brown e seu colaborador Konstantin Batygin determinaram que tais fenômenos teriam 0,2% de chances de ocorrer sozinhos.

“Embora a análise não anuncie nada diretamente sobre a presença do Planeta Nove, isso indica que a hipótese se baseia em fundamentos sólidos”, diz Brown. Segundo suas estimativas, Phattie seria cinco vezes maior que a Terra. Se a sua existência for confirmada, será o quinto maior planeta do Sistema Solar.

Após a descoberta de Netuno em 1846, houve uma especulação considerável de que outro planeta poderia existir além de sua órbita. A mais conhecida dessas teorias previu a existência de um planeta distante que estava influenciando as órbitas de Urano e Netuno.

Nosso Sistema Solar como conhecemos hoje

Depois de extensos cálculos, Percival Lowell previu a possível órbita e localização do hipotético planeta transnetuniano e iniciou uma extensa busca por ele em 1906. Ele chamou o hipotético objeto de Planeta X, um nome usado anteriormente por Gabriel Dallet.

Clyde Tombaugh continuou a busca de Lowell e em 1930 descobriu Plutão, mas foi logo determinado a ser muito pequeno para se qualificar como Planeta X de Lowell. Após o sobrevoo da Voyager 2 em Netuno, em 1989, a diferença entre a órbita prevista e observada de Urano foi determinada como sendo devido ao uso de uma massa anteriormente imprecisa de Netuno.

Tentativas de detectar planetas além de Netuno por meios indiretos, como perturbações orbitais, datam de antes da descoberta de Plutão. George Forbes foi o primeiro a postular a existência de planetas transnetunianos em 1880, e seu trabalho é considerado semelhante às teorias mais recentes do Planeta Nove.

Escrito por Carlos

Ele tinha 3 anos e ninguém acreditou quando acusou o pai pelo desaparecimento da mãe: agora veio a verdade

O Japão está construindo um elevador que levará você ao espaço