in

Conheça a mais famosa música de Natal: Noite Feliz

Em meados do ano de 1818, Joseph Mohr um padre pediu ao seu grande amigo organista Franz Gruber que compusesse uma melodia para um poema. Nascia então o Stille Nacht, heilige Nacht, uma das mais famosas canções natalinas, traduzidas para mais de 300 idiomas em todo o mundo.

Naquela noite, Gruber e Mohr executaram a música pela primeira vez durante um serviço na Áustria em uma igreja, figurando desde 2011 na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Organização das Nações Unidas.

O poema foi criado em um período bastante difícil. O eclesiástico sofreu diversas ocupações durante nas Guerras Napoleônicas. Os conflitos trouxeram muita fome e em especial no Ano Sem Verão, quando as temperaturas eram muito baixas que destruiu todas as plantações na Europa e América do Norte.

No mesmo ano, Salzburgo perdeu toda a sua independência e foi viver na Áustria. As palavras dessa linda música foram escritas nessas terríveis circunstancias.

O contexto não teve impedimento que a canção se tornasse um grande sucesso em todo o mundo. Primeiro a música começou a se espalhar em um manuscrito na região dos autores. Depois, Carl Mauracher, construtor do órgão, levou para Zillertal, um vale onde era cantado por corais. Dali, a música foi para Alemanha, Estados Unidos e Europa.

O cristianismo levou essa maravilhosa música para o mundo junto com os missionários. Ela virou bastante acessível em muitos dialetos e línguas, tornando-se então global. A exibição traz bastantes informações detalhadas sobre a canção, já que ela é cantada por dois bilhões de pessoas no mundo inteiro e, além, dos objetos que ilustram o estilo de vida da composição, como o piano usado para tocar essa linda melodia.

A melodia de Stille Nacht tem em diversos idiotas onde resultaram traduções nada fies ao texto original. Muitas delas são adaptações. A versão na língua portuguesa, por exemplo, foi intitulada Noite feliz, embora o título da melodia seja Noite Silenciosa.

A primeira estrofe abriga a frase “pobrezinho que nasceu em Belém”, já na verdade melodia essa estrofe é totalmente inexistente. Hochrader diz que, as chamadas traduções são novas poesias que tentam sempre manter a originalidade do texto, mas precisam levar em conta as rimas e o ritmo.

Segundo Husty, as traduções buscam manter o sentindo da canção: o Natal com a festa em sinal da paz. Mas nem sempre esse é o caso, como prova a versão nazista da melodia.

No regime Hitler existia um problema muito óbvio com o Natal: Jesus era Judeu. E o antissemitismo estava sempre no centro da existência da ditadura. Por isso, sua equipe removeu todo o contexto religioso. Isso incluía também rescrever canções natalinas sem nenhum tipo de referencia para Deus, fé ou Cristo.

Os compositores dessa linda melodia nasceram em 1972, onde Mohr estudou e foi ordenado a ser padre. Em 1815, Mohr se tornou curador em Mariapfarr. E no ano seguinte, escreveu esse lindo poema que é tanto conhecido por milhares de pessoas.

Os dois compositores são tão famosos na Áustria que ele trabalhou e morreram por lá, e possuem um memorial e museus em sua homenagem.

Escrito por Fabricio Pontes

Casas que foram abandonadas no Japão criam oportunidades para imigrantes

Casas que foram abandonadas no Japão criam oportunidades para imigrantes

Conheça as curiosidades dos Estados Unidos