in

Conheça a mais famosa música de Natal: Noite Feliz

Em meados do ano de 1818, Joseph Mohr um padre pediu ao seu grande amigo organista Franz Gruber que compusesse uma melodia para um poema. Nascia então o Stille Nacht, heilige Nacht, uma das mais famosas canções natalinas, traduzidas para mais de 300 idiomas em todo o mundo.

Naquela noite, Gruber e Mohr executaram a música pela primeira vez durante um serviço na Áustria em uma igreja, figurando desde 2011 na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Organização das Nações Unidas.

O poema foi criado em um período bastante difícil. O eclesiástico sofreu diversas ocupações durante nas Guerras Napoleônicas. Os conflitos trouxeram muita fome e em especial no Ano Sem Verão, quando as temperaturas eram muito baixas que destruiu todas as plantações na Europa e América do Norte.

No mesmo ano, Salzburgo perdeu toda a sua independência e foi viver na Áustria. As palavras dessa linda música foram escritas nessas terríveis circunstancias.

O contexto não teve impedimento que a canção se tornasse um grande sucesso em todo o mundo. Primeiro a música começou a se espalhar em um manuscrito na região dos autores. Depois, Carl Mauracher, construtor do órgão, levou para Zillertal, um vale onde era cantado por corais. Dali, a música foi para Alemanha, Estados Unidos e Europa.

O cristianismo levou essa maravilhosa música para o mundo junto com os missionários. Ela virou bastante acessível em muitos dialetos e línguas, tornando-se então global. A exibição traz bastantes informações detalhadas sobre a canção, já que ela é cantada por dois bilhões de pessoas no mundo inteiro e, além, dos objetos que ilustram o estilo de vida da composição, como o piano usado para tocar essa linda melodia.

A melodia de Stille Nacht tem em diversos idiotas onde resultaram traduções nada fies ao texto original. Muitas delas são adaptações. A versão na língua portuguesa, por exemplo, foi intitulada Noite feliz, embora o título da melodia seja Noite Silenciosa.

A primeira estrofe abriga a frase “pobrezinho que nasceu em Belém”, já na verdade melodia essa estrofe é totalmente inexistente. Hochrader diz que, as chamadas traduções são novas poesias que tentam sempre manter a originalidade do texto, mas precisam levar em conta as rimas e o ritmo.

Segundo Husty, as traduções buscam manter o sentindo da canção: o Natal com a festa em sinal da paz. Mas nem sempre esse é o caso, como prova a versão nazista da melodia.

No regime Hitler existia um problema muito óbvio com o Natal: Jesus era Judeu. E o antissemitismo estava sempre no centro da existência da ditadura. Por isso, sua equipe removeu todo o contexto religioso. Isso incluía também rescrever canções natalinas sem nenhum tipo de referencia para Deus, fé ou Cristo.

Os compositores dessa linda melodia nasceram em 1972, onde Mohr estudou e foi ordenado a ser padre. Em 1815, Mohr se tornou curador em Mariapfarr. E no ano seguinte, escreveu esse lindo poema que é tanto conhecido por milhares de pessoas.

Os dois compositores são tão famosos na Áustria que ele trabalhou e morreram por lá, e possuem um memorial e museus em sua homenagem.

Casas que foram abandonadas no Japão criam oportunidades para imigrantes

Casas que foram abandonadas no Japão criam oportunidades para imigrantes

Conheça as curiosidades dos Estados Unidos